Boletim Pró-Diversidade

Sabedoria das Ruas – Quem sou EU?

Na última oficina Sabedoria as ruas fizemos uma mini  auto-entrevista com alguns de nossos participantes, na anterior vimos a história de Fábio do Nascimento, agora vamos saber um pouco mais de Eduardo de Oliveira Pinto, o nosso Snoopy,  40 anos e tem o sonho de ser DJ que aos poucos estamos realizando pois ele tem sido o DJ Residente do Instituto!

Quem sou eu?
Sou Eduardo de Oliveira Pinto, tenho 40 anos, sou nascido em Osasco – SP e estou em situação de vulnerabilidade social desde 2005.
Sou vendedor da Ocas” e também voluntário da Pró-Diversidade. Meu sonho é ser DJ, pois curto muito música eletrônica e sou muito fã dos desenhos animados do cachorrinho Snoopy, da qual é o meu apelido desde então.
Sou Cristão e congrego no Salão do Reino das Testemunhas de Jeová. Gosto muito de ler e estudar a Bíblia. Gosto [curto] muito de artes e sou torcedor do Sport Club Corinthians Paulista, ou seja, sou corintiano de coração. Já passei muita dificuldade na vida, mas estou superando aos poucos, com a ajuda de [Jeová] Deus e dos amigos que me cercam e o admiram.

O que é a Oficina “Sabedoria das Ruas”?
É o projeto sócio-educativo, que insere a pessoa que está em vulnerabilidade social à aprender a ler e a escrever, fazer poesias e/ou textos relativos ao contexto da situação de rua ou do seu dia-a-dia. Seja em versos, prosas ou textos literais em forma de poesia. É um exercício educativo à cidadania e a reintegração social.

Por que eu gosto da Oficina “Sabedoria das Ruas”?
Por causa do aprendizado e do conhecimento da poesia literária, pois nos motiva a pensar, a refletir e discernir cada fato, assunto, curiosidades do mundo das ruas em que o agente vulnerável da sociedade se encontra, detalhando suas experiências, estilos de vida e principalmente a moral e o caráter designados para pôr em prática, suas respectivas condutas em que vivem. Aprendendo as coisas da nossa vida real, para que no futuro próximo, possamos adquirir experiência e aprender um pouco que nosso cotidiano nos trás, sem se deslizar de fatos ilusórios em que nos expõe para fora de nossa realidade.

Qual o momento em que me marcou nas Oficinas [Sabedoria das Ruas]?
O convívio com o pessoal do espaço: Casa de Simeão e a divulgação de nosso trabalho na Rede Rua [O Trecheiro]. Também foi a sabedoria das pessoas conviventes [idosas] em se interessar pelo lado poético literário, em que me impulsionou a gostar mais da atividade, afora, então, ao sair na matéria no jornal: O Trecheiro. Mostramos também a união das pessoas da terceira idade, ao nos contarmos suas experiências de vida, sobre sua situação de rua, ou vulnerabilidade social. O Aprendizado, assaz é intrínseca e muito produtiva, pois ensina o verdadeiro valor da moral e do caráter enraizadas no ser humano e, também cultiva amizades.

O que espero desse livro: [Sabedoria das Ruas] para 2017?
Espero adquirir experiência em vender, divulgar, estudar, analisar e conceder ao leitor, o privilégio de saber as experiências relatadas no livro, como um meio social e educativo mostrada ao mesmo como que, esse trabalho importante, frutificou [frutificará], demonstrando o caráter sócio-cultural da pessoa em si como escritor e espelhar em minhas [suas] experiências de situação de rua, mostrando o lado positivo da vulnerabilidade social, destacando-se sua virtude em exercer um trabalho poético, competente e incisivo, para promover o caráter e a moral em ajudar a si próprio a vencer suas expectativas, adquiridas pela sábia e vasta experiência em viver numa vida real em que eu vivo.

Deixe um comentário