Boletim Pró-Diversidade

Super Mãe

Daniele Barbieri Coppi

Filhos: tem como não amá-los?

Esta chegando o mês das crianças então eu vou contar umas histórias hilárias que aconteceram comigo e com meus filhos:

Recentemente o Raul meu filho de 4 anos, estava doente a principio achavam que era gripe, porém sentia muita dor e em casa antes de descobrirem o que realmente ele tinha, perguntou para a minha filha mais velha:

– Hanna, você acha que eu vou morrer?

– Não, você não vai! Já vai passar…

– Pega um remédio lá. Um que “tá” escrito para dor de garganta.

Imagina a dor que ele tava sentindo e não era gripe, era dengue.

Fui à missa com o Bernardo de 6 anos e ele disse:

– Nossa mãe, ainda bem que só “tá” eu e você. Vou comer aquele biscoito hoje.

– Bernardo, não é biscoito é o corpo de Cristo e é um miolo de pão amassado. Bem amassado.

– Ah mãe…então eu não quero pão. Já tomei café!

Outra vez, estávamos todos andando por ai e uma loja fez uma promoção com bichos de desenhos, de repente o Guilherme de 9 anos, que na época tinha 7 gritou:

– Mãããããeeee, olha um demônio!

Quando olhei era um Teletubbies, o vermelho. O Érico e o Hanna que conheciam o desenho riam de escorrer lágrima dos olhos. Todos olharam até a pessoa com o personagem tamanho o grito que ele deu. Assistimos muitas séries como “Supernatural” e “The Walking Dead” então já viu né?!

Eu com o Raul andando na rua e tinha uma árvore cheia de amoras e várias delas no chão. Ele perguntou se podia comer e eu disse não, porque era uma fruta que transforma em zumbi. Ele é muito inteligente e perguntou por que os pássaros não viravam zumbi depois de comê-las.

Certa vez houve uma promoção de supermercado em que cada R$20,00 gastos dava direito a uma foto que iriam tirar no local. Gastei R$120,00 que dava para tirar duas fotos da Hanna com 5 anos, Érico com 4 anos, Guilherme com 2 anos. Coloquei fantasia que o local fornecia e não tinha nada que fizesse o Érico usar uma fantasia. Simplesmente emburrou. Tirei foto dos outros que são chegados em uma pose e fui embora. No dia seguinte, eles estavam almoçando na casa da avó e a tia paterna perguntou:

– Érico, porque você não quis tirar foto. Ia ficar tão lindo! – ele grosso de pai e mãe respondeu:

– Porque eu tava de saco cheio daquela palhaçada, agora vira para frente e lava a louça!

Minha cunhada ria tanto que chegou a chorar. Isso tudo porque ele nunca foi a favor de abraços, beijos e sorrisos. Agora que cresceu está um pouco mais simpático.

Eu sempre acordei cedo e os meus filhos tem meu ritmo. Um dia virei-me para coar café, deixando o pão já cortado com manteiga em cima da mesa. Quando fui comer, não tinha mais pão e sim um pé da meia que o Raul estava calçado. E ele pequeno com 1 ano e 5 meses, sentado no sofá se lambuzando de manteiga. E eu nem ia reparar que era uma meia e não um pão!

Desejo a todas as crianças, pequenas  e grandes,  muita saúde!

Deixe um comentário