Boletim Pró-Diversidade

Diva da Administração Pública

Pierre Rinco

Diva Tecelã

Olá, Little Divos, como estão?

Ansiosos por mais um bate-papo nosso? Eu já estava toda glamourosa, rainha do funk, poderosa, olhar de diamante de saudades de vocês!

E além dos temas que tenho visto nos jornais e que minhas amigas da repartição pública não param de comentar, como os relativos à falta de água em São Paulo, greves que temos visto em nosso Estado ou os protestos referentes à Copa do Mundo sediada em nosso país, o que tem atraído a atenção da Diva aqui é o tempo frio e seco que temos enfrentado.


Eu ainda estou toda convalescente da dengue que contraí mês passado, se vocês não se lembram do que aconteceu comigo, leiam o Boletim do mês de Abril novamente, pois sou uma rainha da administração pública e não sou obrigada a ficar repetindo histórias. E este frio acabou com minha garganta, amados little divos, ela ficou toda inflamada.

Para protegê-la, além dos milhares de remédios fitoterápicos que já tomei, achei por bem encontrar um belíssimo cachecol que estivesse à altura da princesa pública que eu sou. Olhei em meu closet e não achei nada que me satisfizesse, nada que combinasse com meus casacos de pele sintética ou com meus trench coats babadeiros.

Resolvi procurar durante a semana em todos os maisons conhecidos, como o da Balenciaga, Chanel, Dior, Valentino, Alexander McQueen, Ralph Lauren, John Galliano… Nenhuma destas casas tradicionais de moda possuía um cachecol que abraçasse meu pescoço público com o mesmo amor que abraço a burocracia estatal de São Paulo.

Resolvi, portanto, fazer meu próprio cachecol. Peguei meu tear de pregos de mogno, presente que ganhei da minha amiga Katlyn Eduarda na ocasião em que completei  trinta anos ininterruptos de serviço público. Abri o baú imenso que herdei da minha avó, que também era escriturária na época do Império Brasileiro, peguei a melhor linha que encontrei em seu interior: a caríssima lã da Aslan Trends Fantasy Luxury Yarns, coleção COSENZA, que parece prata e bronze, mas é só glamour e sofisticação em forma de fios tecidos por albanesas virgens com lãs de ovelhas albinas da Azerbaijão.

Antes de começar a tecer, peguei meu vinil da Judy Garland e deixei reproduzindo em meu gramofone. Tenho blu-ray em casa, little divos, mas achei que só conseguiria tecer um cachecol absolutamente divino se incorporasse o tom das divas da época em que fui bem danadinha na vida, ou seja, minha adolescência. E apenas no gramofone eu teria este poder, claro que acompanhada de uma taça de Vermute com pétalas de rosas príncipe negro.      

A cada carreira terminada no tear e cada nova frase de Somewhere Over the Rainbow cantada pela Garland, euzinha  sentindo-me a tecelã estatal, refletia sobre o papel de um órgão da administração pública chamado Subsecretaria do Trabalho Artesanal nas Comunidades, a SUTACO, cujo objetivo é profissionalizar o trabalho artesanal, unindo preservação da cultura local com geração de renda no Estado de São Paulo,  o que eles fazem há mais de 44 anos.

Quando eu conheci fiquei apaixonada! O artesão vai até à SUTACO, tem seu trabalho manual avaliado e classificado, recebe sua Carteira de Identificação de Artesão e, credenciadamente, obtém orientações profissionais acerca de como comercializar seus produtos, emitir nota fiscal para vendê-los para lojas, receber cursos de qualificação profissional, acesso ao microcrédito e orientação jurídica, entre outros serviços que a SUTACO oferece.

Além de tudo isto, o artesão pode ser selecionado para participar de exposições babadeiras que a SUTACO realiza, tendo seu trabalho divulgado para todos. Luxo puro.
Então, little divos, se vocês fazem algum tipo de artesanato e gostariam de se profissionalizar, ou mesmo se conhecem alguém nesta situação, procurem a SUTACO. Atualmente, ela está localizada na Rua Boa Vista, 170, Edifício Cidade I, 3º andar, no Centro da cidade de São Paulo, próximo à estação São Bento de Metrô. Vale muito a pena uma visitinha no site deles também, no endereço eletrônico www.sutaco.sp.gov.br. E, claro, qualquer dúvida sempre pode ser tirara por telefone: um dos telefones ativos que atualmente eles possuem é
(11) 3241-7327.

Depois desta dica divônica, continuarei meu cachecol babadeiro, pois o Vermute está subindo, estou sentindo muito calor e quero terminar meu cachecol. E fiquei cheia de ideias. Quem sabe eu não faça minha Carteirinha de Artesã na SUTACO e lance minha própria Maison?? MAISON DA DIVA!!! Não seria 500 graus de puro fogo público e de poder?

Arrasei, não é?

Beijos públicos a todos vocês, Little Divos!!

Amo vocês.

Até a próxima.

Deixe um comentário