Boletim Pró-Diversidade

Formação Profissional

Péricles Formigoni

Palestras, Oficinas ou Coaching?

Vivemos em uma época de excesso de informação na qual o domínio de informação, sobre informação e informação de qualidade é o grande diferencial para se garantir sucesso profissional e até mesmo pessoal, uma vez que as relações humanas com as redes sociais tornam-se cada vez mais corporativas e menos humanas infelizmente.
Nesta realidade muitas pessoas e empresas recorrem a treinamentos de alta performance para qualificar e requalificar o pessoal. Muitos investimentos são realizados e os custos são os mais variados, lembrando aqui que nem sempre o mais caro é o mais adequado.
Assim surgem novas designações e novas modalidades de treinamento que na verdade acabam sendo sempre um reinventar da roda, pois mudam-se formatos, mudam-se técnicas e mudam-se custos, principalmente, mas no fundo o que se esquece é de uma coisa bem simples: CONTEÚDO!
Uma palestra bem estruturada, com duração adequada ao tema, com Conteúdo e claro com um palestrante preparado principalmente do ponto de vista de saber envolver as pessoas no tema nunca sairá de moda!
Uma oficina bem dinâmica, com aplicação das técnicas certas e com foco, sempre será bem aceita!
Um Coaching se não respeitar as mesmas premissas da Palestra e da Oficina corre o terrível risco de ser uma atividade que somente apresenta o obvio e entedia a todos, e isto não pode acontecer! Dinâmicas de grupo não são passatempo ou brincadeiras, são importantes processos cognitivos que tem de ser utilizados com critério, fundamento e propósito!
Não estamos afirmando que o Coaching seja ruim ou bom muito pelo contrário… é uma ferramenta motivacional importante para direcionar pessoas a alcançarem seus objetivos! Mas pegar uma palestra e chamar de Coaching só pra cobrar mais caro? Pegar uma oficina e Chamar de Coaching só por status! E ainda falar que Palestras e Oficinas são obsoletas, quando na verdade um bom Coaching está repleto de Palestras e Oficinas? Enfim…
Desta forma devemos nos preocupar menos com o título da atividade e mais com seu conteúdo, menos com a embalagem e mais com o presente em si! Nossa sociedade precisa de pessoas melhores e pessoas melhores começam eliminando o que está sobre a superfície e tentando desvendar o que existe mais internamente!

Deixe um comentário